Dizer "não" vai salvar sua vida

Pense nos últimos sete dias, o que você fez por você mesmo, por prazer? E o que acabou cedendo pelos outros, para não desagradá-los? Viu só! Matemática simples nos mostra como devemos equilibrar as nossas atitudes.
*Por Mariana Vieira


Ano após ano trabalhando como hipnoterapeuta clínica, percebo com preocupação a crescente dificuldade que as pessoas têm de dizer não. Até mesmo aqueles que afirmam não sofrer com isso tão constantemente, em alguns momentos da vida, com pelo menos uma ou duas pessoas mais próximas, também acabam fazendo o que não queriam para agradar as outras pessoas, ou ao menos para não desagradá-las.

E, isso, vai germinando perigosas e silenciosas sementes como a amargura, raiva, aflição, tristeza entre outras que muitos de nós sentimos e não nos damos conta de onde vem. Exatamente por esse motivo que esse tema me inspirou. Pois muito pensam: "Ah! vou nesse aniversário, mesmo não querendo, para que a minha esposa não brigue comigo" ou "Vou passar naquele Happy Hour para que o meu chefe não fique desapontado", e assim vai ... COISINHA por COISINHA, acumulando nos nossos corações.
Pior ainda, é que na contrapartida quase nunca fazemos algo por nós! Quer ver a prova disso? Pense nos últimos sete dias, o que você fez por você mesmo, por prazer? E o que acabou cedendo pelos outros, para não desagradá-los? Viu só! Matemática simples nos mostra como devemos equilibrar as nossas atitudes.

Obviamente que não estou aqui para incentivá-los a saírem como umas máquinas dizendo Não, Não, Não e Não. Até porque essa atitude não resolve nada, e ainda torna a pessoa desagradável. Mas temos de ter consciência de dois grandes fatores para equilibrarmos esse cenário. O primeiro é se conhecer verdadeiramente, com honestidade consigo mesmo. E uma perguntinha pode lhe ajudar: "Eu sinto conforto ou desconforto quando penso em fazer isso?", a resposta vem no próprio corpo. E desse jeito podemos fazer escolhas mais assertivas.

E o segundo fator é ter autoconfiança para depois de descobrir o que quer, conseguir manter a sua opinião. E aqui outra perguntinha pode lhe ajudar: "Se eu disser não, se eu não fizer o que me pediram, o que de pior pode acontecer?". Talvez você ria com a resposta que virá.

Lembre-se que a porta do equilíbrio costuma ser a do meio termo. Como dizem por aí, nem tanto ao céu nem tanto a terra. Nem tanto Sim e nem tanto Não.

*Mariana Vieira - Hipnoterapeuta clínica, com certificações internacionais pela ABH – The American Board of Hypnotherapy e Instituto Milton H. Erickson (USA), especialista em Programação Neurolinguística com certificação da The Society of NLP™ e Psicoterapeuta Transpessoal, iniciou sua atuação no desenvolvimento humano em 2004 atuando como voluntária em ONGs descobrindo-se uma apaixonada pela complexidade da mente humana o que lhe fez descobrir seu propósito no mundo: o de apoiar as pessoas a encontrarem o caminho do equilíbrio e de uma vida saudável, no âmbito profissional e pessoal.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages